Bompreço se prepara para a Copa de 2010

Produtos oficiais e negociações exclusivas garantem diferencial da rede

Maria Ana Sitonio

 

O Walmart é a loja oficial da Copa do Mundo FIFA 2010 e se prepara para o maior evento de futebol do planeta. Para ajudar o brasileiro a celebrar essa paixão, a rede – que atua no Nordeste com as bandeiras Bompreço, Hiper Bompreço, Todo Dia, Maxxi Atacado e SAM’S CLUB – vai comercializar produtos oficiais do mundial. Quem passar em uma das lojas Hiper Bompreço na região já pode encontrar mochilas e lancheiras infantis, mala de viagem, sacola, bolsas e acessórios. Nos próximos meses, as lojas Hiper Bompreço receberão mais produtos exclusivos, como a pelúcia do Zakumi (mascote oficial) e a bola de futebol.

 E, em ano de Copa do Mundo, tradicionalmente cresce a procura por televisores. Com a proximidade do mundial, a rede se prepara para atender à demanda, que deve crescer nos próximos meses. Por isso, o Bompreço reforçou o estoque de televisores em 40%, ante o mesmo período do ano passado.

Além do evento mundial, o fator tecnológico será um dos impulsionadores deste aumento.  “Historicamente, vendem-se mais televisões em anos de Copa do Mundo. Desta vez, a diferença é a convergência de tecnologias, que ajudará o desempenho do setor”, diz o diretor comercial do Bompreço, Jeferson Silva. O fato é que o processo natural de troca de aparelhos convencionais de tubo para modelos telas finas, aliado ao advento da TV digital, deixa a estimativa ainda maior. Para se ter uma ideia, na Copa de 2006, só com a troca de novos equipamentos, o incremento nas vendas no primeiro semestre em comparação com 2005 chegou a 10%. Este ano, a expectativa do Bompreço é crescer 40% nos dois meses que antecedem o campeonato (abril e maio). É por isso que as apostas da rede, nos próximos meses, estão nas TVs de LCD e de plasma. “Cerca de 90% dos produtos negociados devem ser destes tipos. Mais especificamente com tamanhos entre 32 e 42 polegadas. O restante são os televisores de tubos”, explica Silva.

 É importante destacar que, em 2006, as TVs de tela fina chegavam a custar de quatro a cinco vezes mais do que o valor do aparelho atualmente. Hoje, é possível encontrar nas lojas do Bompreço, por exemplo, televisor de LCD de 22” por menos de R$ 1 mil. Além do valor, a forma de pagamento tem sido outro atrativo aos consumidores. Alguns itens podem ser parcelados em até 15 vezes sem juros no cartão Hipercard

Cortejo cultural abre carnaval da Bomba do Hemetério

Artistas da comunidade se mobilizam promover evento no bairro

Maria Ana Sitonio

Um arrastão carnavalesco vai tomar as ruas da Bomba do Hemetério, na Zona Norte do Recife, na próxima quinta-feira 4. O cortejo, formado por 36 agremiações e grupos culturais locais, vai abrir as comemorações carnavalescas do bairro. Apesar da expressividade cultural de diversos grupos locais, esta é a primeira vez que artistas de diferentes segmentos da localidade se mobilizam para promover uma folia desse porte no bairro.

A concentração está marcada para 16h, no Largo São Sebastião, com saída prevista para 17h, em direção à praça Castro Alves, onde se encerra o cortejo e acontece a homenagem aos mestres populares da Bomba do Hemetério: Mestre Geraldo, José Amâncio do Coco, Mestre Alfaiate, dona Juracy, dona Marivalda, dona Marina e Zildo Marques.

Com cerca de 60 agremiações, a Bomba do Hemetério é um celeiro cultural na Zona Norte do Recife. A comunidade detém quase 30% das agremiações existentes na Região Metropolitana do Recife (RMR) – levando em conta as cerca de 200 publicadas no Catálogo de Agremiações Carnavalescas (2009) da Prefeitura do Recife.

Este número, porém, não é diretamente proporcional à visibilidade cultural que a Bomba do Hemetério recebe. Somente de quatro anos para cá, o nome do bairro tem ganhado visibilidade, através do trabalho realizado pela Orquestra Popular da Bomba do Hemetério. Formada por 21 artistas locais, a orquestra recebeu atenção por suas apresentações interativas, que já lhe rendeu o prêmio de Melhor Orquestra Itinerante do Estado (2006).

Mas, a riqueza cultural da comunidade vai além da performance da Orquestra Popular da Bomba. Dentro do seu território, a Bomba do Hemetério guarda outros tesouros, como o Maracatu Nação Elefante, uma das nações de baque virado mais tradicionais de Pernambuco; o Reisado Imperial, o mais antigo da América Latina; e a Escola Gigante do Samba, uma das mais importantes do Recife. Além da quantidade de agremiações, a diversidade de grupos é outra característica importante da Bomba, que agrega em seus 44,9 hectares quase todas as manifestações culturais do estado – caboclinhos, troças, maracatus, reisados, bois, escolas de samba, urso, afoxé, clube de frevo, tribo de índios, quadrilhas juninas e bonecos.

Esta opulência cultural foi uma das características que atraíram e pesaram na escolha do bairro para receber o primeiro Programa de Desenvolvimento Local do Instituto Walmart, que visa dentre outras ações fortalecer as manifestações culturais da localidade. Segundo a gerente do Programa de Desenvolvimento Local da Bomba do Hemetério – Bombando Cidadania, Adriana Franco, desde o ano passado, aproximadamente 75 artistas e profissionais de cultura do bairro estão sendo capacitados em desenvolvimento cultural comunitário. “O cortejo já é o produto de um trabalho de empoderamento que vem sendo realizado com esses artistas, dentro das ações do programa”, conta. Além de funcionar como uma vitrine para os grupos locais, o evento também foi pensado para movimentar a economia do bairro, principalmente os setores de bebida e lanche.

Ainda segundo Adriana, a comunidade almeja se estabelecer como um pólo cultural permanente da cidade. Para isso, os próprios artistas montaram um calendário com ações estruturantes que acontecerão ao longo deste ano. Dentre elas, um circuito turístico com visitas estruturadas às agremiações carnavalescas e um festival musical anual para divulgar a diversidade musical existente na Bomba do Hemetério e adjacências.

Outro produto cultural criado a partir do programa foi o espetáculo teatral “E o que é o Bombaguá?”. Mais do que uma peça, o auto, que mistura música, dança e teatro, é um marco na história do local. “Pela primeira vez no bairro, artistas plásticos, músicos, atores, dançarinos e cantores ligados a diferentes movimentos se juntaram para fazer um espetáculo. Foi de fato uma vitória da comunidade”, comemora Adriana. O Bombaguá, personagem principal do espetáculo, também estará presente no cortejo.